Ano passado durante o maior evento nerd/geek do Brasil, a CCXP, o meu principal objetivo era passar pelo Artist’s Alley, para tietar artistas que eu já conhecia, como o Samuel Fonseca por exemplo, e conhecer trabalhos de outros artistas.

Meu foco eram os artistas nacionais e foi na fila da mesa do Thobias Daneluz, enquanto ele fazia uma commission (ilustração comissionada), que meus olhos foram imediatamente atraídos pela capa do livro “Desengano”, quarto trabalho do quadrinista independente, então deixei o Doug guardando fila e fui conhecer a mesa do Camilo Solano.

“Desengano” nos apresenta Juca Bertozo, um jovem introspectivo e melancólico buscando seu lugar no mundo. Assim como eu, o personagem não é muito chegado ao Carnaval, ás suas farras e foliões e por isso, sai de São Paulo com a família para a cidade interiorana de São Manuel, onde seus avós residem, para fugir da grande folia.

Há um grande contraste da forma em que Juca é retratado se comparado a sua família, todos são extremamente comunicativos, que adoram uma farra, resumindo são pessoas simples e comuns, o que sem dúvida causa uma sensação de empatia imediata no leitor.

Afinal, quem nunca teve uma reunião de família, onde os membros passam mais tempo na cozinha do que em qualquer cômodo da casa? Quem nunca presenciou uma refeição em família e seus momentos embaraçosos devido a falta de tato de algum parente? É impossível não se identificar com a família de Juca e pode ser que você também se identifique com esse contrastante personagem sentado ali na mesa de jantar.

Ao se aproximar do grande dia de folia, os integrantes da família começam a fazer planos para curtir os dias de folga, assim alguns vão pescar, outros vão aproveitar o Carnaval, mas Juca não, ele decide passar o Carnaval sozinho.

É em meio a essa fuga do personagem que vamos conhecendo a cidade de São Manuel, uma cidade interiorana comum, cheia de pessoas simples de hábitos comuns, mas uma vez o personagem é retratado de forma deslocada no cenário.

Antes de partir para a pescaria, seu avô lhe pede que busque um saco de batatas fritas que vendem em uma banca durante o desfile de carnaval da cidade e é lá onde, durante o desfile de carnaval, é que o contraste entre a desilusão e a felicidade multi-colorida se torna mais evidente, até que um acontecimento faz com que o nosso protagonista comece a ver as coisas por lentes diferentes, lentes que dissipam o desengano e trazem sentimentos mais agradáveis.

O traço de Solano é lindo, as desfigurações propositais são de encher os olhos e contribuem muito para a caracterização dos personagens e a demonstração dos sentimentos, reações e perfis dos mesmos. A edição é bem feita, as cores são perfeitas e bem colocadas e há ao final do livro uma espécie de making-off sobre como foi feita a capa, fato interessantíssimo por sinal.

“Desengano” surpreendentemente é uma obra quase que auto-biográfica, onde Juca é um alter-ego do autor. O título que dá nome ao livro vai se dissolvendo a medida que a HQ vai evoluindo e se revelando uma verdadeira declaração de amor. Coisa linda de ver! Estou ansioso para conhecer outros trabalhos do quadrinista que lançou na CCXP Tour desse ano seu novo trabalho “BADIDA” em parceria com seu irmão Aldo Solano, olhem só essa capa incrível:

Espero que tenham gostado e que confiram o excelente trabalho desse quadrinista independente maravilhoso, para conhecer mais, acesse o site oficial clicando aqui! Grande abraço e até o próximo café…

Anúncios