“A Máquina de Contar Histórias” é o quinto livro do autor brasileiro Maurício Gomyde, lançado pela editora Novo Conceito em 2014, o autor também é conhecido pelo livro “Surpreendente” lançado pela editora Intrínseca em 2015. O livro foi escolhido para leitura coletiva do mês de Abril no grupo de leituras Nome Provisório e mais uma vez me surpreendi positivamente!

Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos… O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar.

Essa é a sinopse de “A Máquina de Contar Histórias”, após perder o amor de sua vida, Vinícius se vê obrigado a encarar a ira de Valentina, sua filha mais velha, que o culpa por não ter dado a atenção e o amor que sua esposa acometida por câncer e em estado terminal precisava por estar muito ocupado com seu trabalho, festas, palestras e eventos de lançamento.

Preciso escrever, preciso pesquisar, preciso entregar, preciso revisar. Preciso, preciso, preciso…  Ele só não havia sido preciso na arte de amar e cultivar a família.

O personagem principal do livro se vê em uma situação muito difícil tendo que lidar com a morte de sua amada esposa, com a ira de sua filha e com o trabalho. Tudo fica ainda pior quando Vinícius constata o fato de que infelizmente aquilo que sua filha diz é verdade, ele não conhece as filhas, não sabe a cor favorita, a comida favorita, sequer sabe de qualquer coisa que lhe permita ter assunto para conversar com as filhas.

Então, acompanhamos na trama um pai arrependido que resolve dar uma pausa na carreira para tentar reconquistar as filhas e provar para elas que ele é sim um homem capaz de amar e que ele fez tudo o que podia por Viviana, tarefa que Valentina não facilita nenhum pouco.

“A Máquina de Contar Histórias” pode ser definido como um livro tocante desde a sua primeira página até a última, a escrita de Maurício é fluída e o livro é repleto de dicas para quem um dia pretende se aventurar pela escrita, fato que combina muito com a história e com a mensagem de Vinícius para sua filha, o único ponto que tenho a mencionar aqui foi a revelação sobre a correspondente de Vinícius, pois pelo menos para mim foi bem óbvio, não chegou a estragar a experiência, mas foi bem óbvio.

Apesar de aparentemente simples, a história é bonita e profunda, a sensação que ficou em mim após a leitura, na verdade foi mais um desejo do que uma sensação, foi o desejo de que todos os pais que por algum motivo erraram com suas crianças, sejam como Vinícius e lutem para reconquistar seus filhos, definitivamente há vários pais que precisam ler este livro e tomar o personagem como exemplo.

Quantos cafés merece “A Máquina de Contar Histórias”?

Anúncios