“Get Out” é o primeiro filme roteirizado e produzido por Jordan Peele, conhecido por seus trabalhos no gênero da comédia, se aventurando nos gêneros de suspense e terror e se saindo incrivelmente bem!

Chris Washington (Daniel Kaluuya), um jovem fotógrafo negro, está aflito e ansioso para finalmente conhecer os familiares de sua namorada caucasiana Rose Armitage (Allison Williams) e em meio a sua aflição faz um questionamento a sua namorada: Eles sabem que eu sou negro?

Ao contrário do que Chris imaginava, ele é recepcionado muito bem por Missy (Catherine Keener) e Dean Armitage (Bradley Whitford), que se mostram extremamente simpáticos e receptivos.

Porém, por trás de tanta hospitalidade, Chris começa a reparar em detalhes que vão desde o comportamento extremamente bizarro dos funcionários, também negros, da família até a agressividade fria do irmão de Rose, Jeremy Armitage (Caleb Landry Jones).

Tudo se torna maior e mais evidente com uma “reunião de família” que ocorre durante o final de semana, onde diversas pessoas, praticamente todas caucasianas, conhecem Chris e nas palavras do próprio personagem, podemos descrever os diálogos entre essas pessoas e Chris da seguinte forma: WTF?

Imerso naquele ambiente, o personagem vai percebendo junto com o telespectador que há algo muito errado e perigoso ali. O filme se desenvolve de forma crescente, misteriosa e cada vez mais intrigante, há coisas que são previsíveis sim, porém tudo é retratado de uma forma que a previsibilidade nem importa tanto assim.

A fotografia e trilha sonora do filme são excelentes, a única coisa que me incomodou um pouco foi o efeito utilizado em certa parte, que não vou falar aqui para não estragar a experiência de ninguém, aliás qualquer coisa a mais que eu diga sobre o filme seria spoiler e prejudicaria a experiência, o que com toda a certeza, não é meu objetivo.

“Get Out” é um filme surpreendentemente bom e com toda a certeza o gênero estava precisando de um filme assim, ouso dizer que o tom inquietante de mistério é digno do clássico “O Bebê de Rosemary”!

Jordan Peele acerta a mão em praticamente tudo em sua estreia, a história é extremamente instigante e a crítica social que ele faz, além de válida, é um super tapa na cara bem dado e bem merecido, pois aqui ele retrata o preconceito e racismo velado, onde brancos votam no Obama para presidente e demonstram convincentemente, a primeira vista, que não são preconceituosos e infelizmente sabemos que esse preconceito velado existe sim na nossa sociedade.

Além de tudo isso, o filme é muito bem escalado, todos os personagens desempenham seus papeis de forma excelente, até mesmo os personagens secundários são muito bem representados, tanto que é difícil, até mesmo impossível citar aqui destaques de atuação, esse é o elenco mais foda que você respeita no melhor filme do gênero que assisti esse ano até então. Resumindo a história, “Get Out” é um puta filmão da porra!

Você ainda não entendeu quantos cafés “Get Out” merece? Ele merece um bule de café inteiro!

Anúncios