O Chamado do Cuco (Cuckoo’s Calling) é um romance policial escrito por Robert Galbraith, pseudônimo da rainha J.K. Rowling.

Quando Lula, uma modelo problemática morre numa queda de uma sacada da Mayfair, supõe-se que ela tenha cometido suicídio. Porém, seu irmão tem dúvidas quanto ao trabalho desempenhado pela polícia nas investigações do caso e solicita os trabalhos do detetive particular Cormoran Strike para rever o caso e provar que sua irmã não se suicidou, pelo contrário, foi assassinada.

Cormoran Strike está passando por uma fase difícil em sua vida pessoal e profissional, devendo o aluguel do seu escritório para o seu próprio pai com o qual não possui nenhuma relação de afeto, recém divorciado, cheio de dívidas e com raros clientes de verdade. Como se não bastasse todos esses problemas, o personagem ainda precisa lidar com uma dor pelo resto de sua vida causada pela amputação de uma perna durante a guerra.

Como que por pena do detetive, o destino lhe reserva uma grande virada de vida promovida por um novo caso irrecusável e uma assistente como ele nunca teve. Robin é uma mulher procurando um emprego com o objetivo de mudar de vida e acaba sendo levada a uma vaga de assistente no escritório de Cormoran por uma agência de empregos.

Logo em seu primeiro dia, a moça percebe que o desafio não será dos mais fáceis, mas resolve encará-lo mesmo assim, afinal a vaga é apenas temporária até que ela consiga encontrar algo melhor. Porém, aos poucos, ela se envolve com o trabalho intrigante de Cormoran e acaba por perceber, com certa surpresa, que talvez não queira estar ali apenas temporariamente, o que lhe causa certo atrito com seu esposo que não se agrada do fato dela trabalhar com um detive particular que ele julga ser um charlatão amador e aproveitador do sofrimento alheio.

No mesmo dia que Robin chega ao escritório, Cormoran recebe um cliente. O desesperado irmão de Lula Laundry chega munido de anotações, gravações e uma série de arquivos que reuniu objetivando pedir ajuda para descobrir quem assassinou sua irmã que foi julgada pela polícia e pela mídia como uma mulher instável, mimada e suicida.

O processo investigativo aqui é interessante na medida que nos apresenta o mundo glamouroso das celebridades visto de dentro e pode apostar que de dentro esse mundo cheio de brilho e luzes se mostra superficial, cheio de intrigas, inveja e todas as cores que o cobrem descascam para revelar um interior escuro e podre.

O Chamado do Cuco é desenvolvido de forma lenta, bem lenta, quase parando, somente nas últimas 100 páginas temos alguma ação e isso pode acabar desanimando o leitor. É obvio que está intrínseco ao gênero que o leitor participe de toda o processo investigativo, porém a investigação em si precisa ser interessante o suficiente para que o leitor se interesse e queira descobrir as respostas junto com o detetive, o que não ocorre aqui.

A resposta para o mistério é extremamente simples e óbvia, portanto o problema citado fica um pouco maior, uma vez que um processo investigativo com boas reviravoltas, ação e ameaças compensariam a obviedade quanto ao mistério principal e não há isso aqui.

O universo construído por Robert Galbraith apesar disso é bom, os personagens são muito bem desenvolvidos, cheios de camadas e conflitos e esse sem dúvida é o ponto alto do livro. Resta torcer para que os próximos casos de Cormoran sejam melhores com respostas menos óbvias do que esse primeiro.

Quantos cafés O Chamado do Cuco merece?

Anúncios